As nuances da internacionalização nas empresas.

Com tanta coisa acontecendo no mundo com essa pandemia, ter a notícia que o Brasil teve recorde histórico de superávit da balança comercial em abril de 2021 é algo que nos enche de otimismo. Independentemente dos setores que exportaram mais ou menos, transpor fronteiras é, sem dúvida, uma boa opção às empresas para aumentarem seus volumes de vendas atingindo mercados estrangeiros.

Bom, não é bem assim, cada vez mais empresas dos mais diversos tamanhos e segmentos têm desbravado novos mercados internacionalizando suas operações e, ao vencerem esses receios iniciais, conseguem resultados incríveis.

Fazendo uma pesquisa no Google sobre internacionalização de empresas, encontramos  inúmeras opções de páginas na internet com dicas, cursos e até consultorias especializadas sobre o tema. Muitas dessas páginas buscam explicar como se faz, mas muitas não são muito práticas e trazem ainda maior temor aos empreendedores.

Sendo extremamente prática e simples, o que se precisa fazer para vender fora do Brasil não é muito diferente do que você já faz no Brasil. Sim, acredite, o que muda são nuances, as diferenças de uma mesma estrutura de itens a serem feitos.

As perguntas aqui no Brasil ou em qualquer país do mundo são sempre as mesmas: Tem mercado? Qual o tamanho? Quem são os concorrentes? Tem requisitos técnicos e de legislação? Nossa capacidade produtiva atende? Vamos conseguir oferecer nossos serviços nesse local? Como vamos dar suporte aos clientes no pós-venda? E o marketing? Como vai ser o jeito de vender? Conseguimos alguma ajuda do governo, seja aqui ou em outro local?

Pensar que são as mesmas coisas que se faz, mas que agora vai se lidar com as nuances de uma internacionalização, pode ajudar a trazer uma sensação ao empreendedor que ele não está lidando com algo impossível, algo tão desconhecido assim. E como começar então?

Já que é para ser prático, vale exemplificar alguns pontos e suas diferenças como:  primeiro: a definição do mercado associado às obrigações legais com adequação de produto e, segundo: o tema tributário. 

Outro detalhe, e que impacta diretamente nos resultados financeiros, está diretamente relacionado aos tributos fiscais. Empresas que têm a classificação fiscal como lucro real ou presumido podem se beneficiar de créditos tributários estaduais e federais quando relacionados à exportação.  A recomendação é que se faça um cálculo do faturamento para a exportação versus o mercado nacional. Dessa forma, chegar ao ponto de equilíbro tributário onde percentual do que se exporta seja o suficiente para que os créditos tributários fiquem equivalentes aos débitos em território nacional.

Olhar o mercado de outro país é o mesmo que olhar os regionalismos no Brasil. É óbvio que vão existir diferenças e entender isso é chave para se conquistar o cliente estrangeiro. E importante: internacionalizar não é vender para todos os países do mundo. Não, não! Escolher os países-alvo é o primeiro passo mesmo, vendo se a conta de investimento e retorno fazem sentido.

A diferença então é como se começa a obter informações e a boa notícia é que já existem pessoas e instituições que podem lhe ajudar. Isso é ótimo, focar a energia do trabalho para conhecer cada uma das estruturas que existem, por exemplo a APEX, o Exporta Fácil, as câmaras de comércio, entre outros. Feiras internacionais também ajudam muito a conhecer o mercado, o que os movimentam, elas são uma fonte riquíssima de informação, de ver tudo em um único lugar, falar com gente que já exportou e chegar à oferta dos produtos e tendências.

Portanto, a ideia é deixar a sensação de que o processo é o mesmo que todas as empresas estão acostumadas, mas somente com nuances, diferenças peculiares da internacionalização. O que se descobre é que são passos pequenos e focados, apesar de trabalhosos para que, em meses, você já se torne um exportador e melhore sua competitividade e ganhos em vendas fora do país.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.